Grupo Atallah Floresta

Nosso objetivo é investir em florestas de Mogno e Eucalipto como fonte de sustentabilidade, geração de riqueza, preservação do ambiente, promovendo o desenvolvimento humano e social, contribuindo  com o crescimento econômico. Buscamos excelência nas pessoas, nas tecnologias aplicadas e nos produtos utilizados para que nossa meta de produtividade sempre seja alcançada.O Grupo Atallah Florestas está trilhando caminhos para criação de valor, colocando em prática em nossas ações nossa Missão, Visão e Valores.

Clique na imagem para amplia-la

Florestas de Eucalypto Grupo Atallah

As florestas de eucalipto do grupo Atallah estão localizadas no município de Ribas do Rio Pardo, fazendo parte da região de maior concentração produtora de madeira do estado, com uma logística privilegiada.

            Em sua grande maioria, estão implantados materiais genéticos obtidos através do cruzamento das espécies Urophylla x E.Grandis, que possuem maior adaptabilidade climática e produtividade para a região, atendendo o grande aumento da demanda de produtos e subprodutos florestais, principalmente a celulose, carvão e energia de biomassa.

Projeto Alto Taquari - Mogno Africano

O Projeto Alto Taquari está implantado a 330 km de Campo Grande no município de Pedro Gomes, MS. É um projeto de plantio de mogno africano que tem como finalidade produzir madeira tropical de forma sustentável, oferecendo alto padrão de qualidade, proporcionando rentabilidade acima dos principais investimentos no mercado e atraindo parceiros brasileiros e estrangeiros.

O mogno africano é uma madeira de excelente qualidade com um cerne avermelhado de aparência atraente que proporciona um fácil acabamento. Além disso, possui livre acesso ao mercado europeu e americano e apresenta resistência à pragas e doenças, se comparado ao mogno brasileiro.

O seu consumo vem aumentando gradativamente, alavancado pelo aumento populacional e consequentemente pelo consumo, aliado às fortes pressões ambientais, que no Brasil principalmente são impulsionadas pelo programa Desmatamento Zero.

Devido a economia de escala, o custo de implantação do projeto é reduzido e 1 há plantado poderá render ao investidor um valor quase 15 vezes maior que o valor investido nos 21 anos do projeto. As receitas são divididas nos 4º e 7º anos com os desbastes iniciais e desbaste no 14º ano já com madeira de valor agregado e com o corte raso no 21º ano.

O projeto proporciona maior tranquilidade ao parceiro/investidor por ter como parceiros o Grupo Atallah e o IBF, garantindo mais capacidade operacional e integração com o mercado consumidor, oferecendo apoio e transparência, desde a implantação do projeto até a colheita e comercialização da madeira.

Canteiro Experimental de espécies silviculturais

Com o intuito de se obter o melhor material genético para a região, com maior adaptação ao clima e solo e oferecendo maior produtividade das florestas, foi  delimitado uma Área experimental que conta com 8 espécies diferentes: Citriodora, VM01, H13, 1407, A217, 1528, Toleriodora e I144, originados de diferentes cruzamentos.

Os diferentes clones recebem os mesmos tratos culturais e adubações e serão tabulados via inventário os incrementos de cada espécie, realizando um comparativo anualmente dos mesmos, afim de se obter o melhor material para região.

Adubações e Análises Foliares

As adubações das florestas, aliadas a boas práticas silviculturas,  visam oferecer os nutrientes necessários e por vezes escassos, necessários ao crescimento e desenvolvimento das plantas, afim de se obter a maior produtividade possível.

Nos nossos projetos são realizadas as primeiras adubações, de base e de cobertura, de acordo com as análises de solo anteriores ao plantio. Após o segundo ano, a segunda e principalmente a terceira adubação de cobertura, são definidas após análises foliares afim de se atender as deficiências específicas e fornecer de forma balanceada os nutrientes deficitários e em quantidades adequada para a formação de uma floresta uniforme, saudável e produtiva.

Compartilhe nas redes sociais